Pedalar pelas ciclovias de Lisboa

Pedalar pelas ciclovias de Lisboa

Uma rede de ciclovias circunda Lisboa de uma forma tão discreta que a maior parte dos lisboetas ainda não se deu conta da sua existência.

Ligando de certa forma as várias ciclovias em Lisboa é já possível ter um circuito de cera de 40Km em que se atravessa a cidade pelo centro e circunda-se pelo lado norte vindo da zona sul e nascente.

Há várias formas de fazer este circuito ou outro similar, já que a rota não está previamente estabelecida e será cada um de nós que fará a sua versão.

Quanto a mim, gosto de começar na Estação Fluvial do Terreiro do Paço. Há pastelarias onde beber um café e comer um pastel de nata para dar energia e alegria mas também uma casa de banho para aquele aperto que dá mesmo antes de começar.

1º – Do Terreiro do Paço até ao Parque das Nações

Ir a rolar ao longo do Tejo é um daqueles incansáveis privilégios que quem nunca sentiu não sabe o que perde.

Vemos o rio de outra perspetiva e passamos por zonas engraçadas onde repousam batelões à espera de melhores dias ou em que estão atracados navios que parece terem saído de um livro do Tintim.

2º – Parque das Nações ao Estádio Universitário

Do Parque das Nações acedemos aos Olivais cruzando o Vale Escuro, lugar temido nos meus tempo de rapaz porque era uma zona abandonada à sua sorte.

Hoje em dia é uma zona ajardinada, cheia de vida e com um quiosque/café onde paro frequentemente para tomar um café.

A subida desafia a nossa condição física mas indo devagar e com alguma paciência acaba por ser superada.

Atravessa-se a Av do Brasil e acede-se ao Estádio Universitário. Aqui conseguimos ver a 2ª Circular e face ao espetáculo de tantos carros a passar é uma oportunidade adicional para dar ainda mais valor ao nosso passeio de bicicleta.

3º – Do Estádio Universitário a Sete Rios

Esta deve ser a etapa mais diversificada.

Passamos pela zona plana e residencial de Telheiras que contrasta com a área do Centro Comercial Colombo para depois mudar radicalmente quando entramos no Parque Florestal de Monsanto.

No Monsanto espera-nos um pequeno trilho de terra batida para logo então entrarmos na ciclovia que segue ao longo da Radial de Benfica e … uuuuuaaauuu … tudo a descer até Sete Rios.

4º – De Sete Rios ao Palácio de Justiça

Pois bem … tudo o que desce eventualmente terá que subir e é aqui que começa a secção mais desafiante, a subida de Sete Rios / Campolide / Palácio de Justiça.

5º – Do Palácio de Justiça à Estação Fluvial do Terreiro do Paço

Descemos o Parque Eduardo VII e acedemos à parte da ciclovia que desce a Av da Liberdade.

Como só costumo fazer esta ciclovia aos Domingos de manhã então encontro esta zona tranquila mas calculo que assim não será se for ao dia de semana e piorará se for numa altura de hora de ponta.

Não há uma boa solução para atravessar os Restauradores e Rossio por isso desenrasquem-se que a vida custa a todos 🙂

6º – Terreiro do Paço / fim

E assim chegamos ao Terreiro do Paço, esta praça fabulosa mas nem sempre bem tratada.

Volta não volta faço este trajeto. É uma excelente preparação para outros “voos”.

Bem hajam,

David Monteiro

PS: Para conhecer as ciclovias de Lisboa em mais detalhes sugerio que aceda a:

This Post Has 0 Comments

    1. Esta notícia especificamente não a tinha visto ainda mas vi outra similar que deu origem a um dos links que partilhei. Obrigado pelo link 🙂 bjs David

Deixe uma resposta

%d bloggers like this: