Baía das Gatas, local icónico?

 

Baía das Gatas está referida como um local icónico da ilha de São Vicente sendo indicada como uma das visitas considerada obrigatória nesta ilha. Mas será que continua a merecer esta fama?

Só por levantar esta questão devo cair em desgraça face aos meus conterrâneos ilhéus porque a Baía, como é conhecida, é um espaço balnear de eleição em São Vicente. Mas creio que é uma discussão merecida.

Há que considerar que quem visita São Vicente o faz com um certo tempo limitado e terá que decidir onde ir e o que fazer em deterimento de outros locais. É aqui que surge a questão se a Baía das Gatas estará ou não incluída nos locais a visitar.

Para quem não conhece a Baía das Gatas, é uma área que fica na zona nordeste da ilha de São Vicente.

A Baía está dividida em duas zonas. Uma zona balnear que tem uma proteção natural de rochas face ao mar aberto e uma zona mais ampla onde podemos encontrar uma comunidade piscatória com os seus barcos alinhados na praia.

Na zona onde estão os pescadores somos transportados para imagens de uma pesca artesanal, vemos um aglomerado de casas pouco cuidadas que propicia a vida comunitária e uma matilha de cães vadios que seguramente esperam pelo momento em que, no retorno da pescaria, podem ter algo para comer.

Quando nos aproximamos da zona de maior densidade de construções temos a área balnear.

A parte natural da Baía das Gatas é a que é amplamente fotografada porque é efetivamente espetacular.

A transparência da água é de cortar a respiração, as cores do fundo marinho correspondem ao meu imaginário, o relevo das montanhas ao redor dá muito dramatismo às imagens e para por a cereja em cima do bolo há um passadiço cimentado em cima das rochas que nos leva a uma zona mais profunda.

Para os mais pequenos há zonas muito amplas de baixa profundidade que convidam a infinitas brincadeiras.

Tudo isto é bonito mas não podemos olhar para a zona de construção humana que me parece horrível.

As casas por acabar, os muros partidos e o ar de descuido e abandono à sua sorte.

Talvez quem viva na ilha esteja habituado a estas imagens e não as veja, não liga nem pensa assim mas basta ir à Baía para se ver o que digo.

Gosto de ver locais cuidados, onde o brio e o amor dos habitantes locais pelo seu espaço nos faça querer voltar, ir aí passear, ver as casas, sentar numa esplanada ou simplesmente usufruir do espaço. Aqui a zona urbana é feia não obstante algumas casas serem interessantes.

Não fotografei essas áreas. Não tenho qualquer interesse em o fazer.

Ouvimos os nossos pais e familiares com mais idade a falar da Baía das Gatas e os seus olhos brilham. Vemos fotos antigas e o espaço era simples, bonito e merecedor dos elogios.

As boas memórias que tenho da Baía são dos momentos familiares na praia e em banhos e, se tudo correr bem, continuarão a existir.

Para bem da Baía e de São Vicente, esta área merece uma intervenção.

Quanto ao viajantes, cada um decidirá se este será um local a visitar.

David Monteiro

2 thoughts on “Baía das Gatas, local icónico?

  1. Acontece o mesmo nalguns locais maravilhosos do Brasil, como Angra dos Reis. E a pobreza não justifica tudo. Nem deve ser as “costas largas” para desculpar o desleixo. Abraço. António

    1. Olá António. Claro que a probreza não justifica a dimensão deste fenómeno em CV. Creio que a maior responsabilidade recai num imposto (tipo IMI) que se paga só quando o edifício estiver terminado … o resultado é óbvio e está à vista. Mas o caso é bem mais complexo que isto. Em sentido contrário temos São Filipe, capital do Fogo, que ainda tem muitas casas de estilo colonial e, apesar de estarem em mau estado, faz com que o centro da cidade seja bonito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *